Estou bem vestida?

Acontece desde a faculdade (olha que faz tempo). Em encontros casuais, com pessoas que de alguma forma sabem que sou do ramo da moda, ainda que não saibam exatamente o quê faço. Ou quando sou apresentada a alguém, a situação repete-se frequentemente, para não dizer 99% das vezes. Lá vem ela, mesmo antes do “como vai?” vem aquela frase: “Estou bem vestida?”

Naquela fração de segundos, mantendo a simpatia, fico me questionando:

Bem vestida para quê? Bem vestida conforme o gosto pessoal de quem? Bem vestida a partir dos valores de quem? Bem vestida com que intenção? Bem vestida para dizer o quê?

Rapidamente, a luz, que me faz lembrar o que é mais importante. A pergunta que, em teoria, responde todas as outras. Claro, presumindo que a pessoa conheça-se, para então responder a minha resposta em forma de pergunta. Então, sorrindo, respondo:

“Você está feliz com o resultado?”

Eu sempre acredito que a resposta será positiva. Afinal, a pessoa usou um período de seu tempo, escolhendo o traje que lhe identifica. Definiu, e saiu de casa com esta roupa.

Para a minha surpresa, as respostas, invariavelmente são evasivas e cheias de desculpas. Do tipo, “minha filha disse...”, “meu marido é quem...”, “minha amiga...”, “a vendedora...”, “nem sei se fico bem, mas está na moda.” Mas a pior de todas é o “tanto faz”, aquele descaso de si.

Isso tudo me faz pensar profundamente nas pessoas e sua relação com a própria imagem. Tenho uma vontade imensa de continuar a conversa, mas fico só pensando:

Sério? Como assim não ser protagonista da própria história? Como assim, você não sabe o porquê está vestindo isto? Como assim, não saber o que as suas roupas estão dizendo sobre você? Como assim, você não sabe o que você escolheu dizer?

Ah, você nem imaginava que as roupas falavam? Sim, as roupas falam, e é sobre você.

As suas roupas são como o alfabeto. Cada blusa, saia, casaco, colar, sapato é como uma letra. Juntas formam palavras, frases e logo, discursos autorais. A comunicação visual através das roupas revela a sua identidade. Mostra o que é relevante para você. Quais são os seus valores, suas intenções, suas crenças e verdades.

Elas dizem o quanto você é criativa, ou dinâmica, ou tímida. Se está com medo, se está leve ou sente-se poderosa. Se quer relacionar-se com o outro, ou esconder-se na multidão, talvez queira “chegar chegando”. Milhares de palavras, milhares de sentimentos que são só seus. Aquele conjunto que define a pessoa singular que é você.

Vestir é um belo processo de autoconhecimento. Para começar, analise cada uma de suas roupas e escute o seu coração. O que esta roupa representa para você? Em que pedacinho do seu coração ela se encaixa?

Procure compreender o que cada forma, cada cor, cada toque significam para você.

No início parece difícil. Talvez você precise de ajuda. Para isto, existem profissionais especializados. Por motivos óbvios, sugiro um consultor de imagem.

Por que quando você revela a sua verdadeira identidade, tudo fica natural. É fácil encontrar o seu discurso visual. De quebra, você economiza um tempo preciso, e também aprende a direcionar melhor seus investimentos. Uma vez encontrando-se, parabéns, agora você tem poder. Você é quem decide. Você é quem sabe. Você é quem diz. Você é a dona da história.

Empodere-se de você e nunca mais “Estou bem vestida” será uma pergunta. Será sim uma afirmação de você.

Fez sentido para você? Curta.

Comente de que forma tocou você.

Que outros assuntos você gostaria? Comente.

Para que muitas outras mulheres encontrem-se aqui, compartilhe.


Conheça a Nani

Sou consultora de imagem e personal stylist. Transformo identidade de mulheres reais em estilo.

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon